MonaVideo – Patrícia Mamona quer conquistar a “tal medalha olímpica” em Tóquio


A atleta olímpica do Sporting afirmou que ainda espera conquistar mais títulos e que já está a trabalhar para conseguir uma medalhas nos próximos Jogos Olímpicos de Tóquio ou de Paris. A atleta realçou ainda que está a apoiar Nélson Évora a 100%.

MonaVideo – Câmara do Sony Xperia XZ testada com salto de Patrícia Mamona (v1)

MonaVideo – Recuperação muscular e prevenção de lesões – Patricia Mamona

 

PATRÍCIA MAMONA EM 6.º COM RECORDE NACIONAL

Susana Costa termina na 9.ª posição em prova ganha por Ibarguen

Patrícia Mamona terminou a final do triplo salto na 6.ª posição e fê-lo em grande estilo, ao fixar um novo recorde nacional. A atleta do Sporting, de 27 anos, saltou 14,65 metros na sua quinta tentativa, numa altura em que já tinha garantido o diploma olímpico. Já Susana Costa ficou às portas desse mesmo diploma, ao não saltar mais do que os 14,12 metros. Terminou na 9.ª posição, a um lugar do acesso às últimas três tentativas.

Já a medalha de ouro ficou entregue à colombian Caterine Ibarguen, que registou uns impressionantes 15,17 metros, a escassos 33 centímetros do recorde Mundial. A venezuelana Yulimar Rojas ficou logo atrás, com 14,98, ao passo que a medalha de bronze ficou para a cazaque Olga Rypakova, que saltou 14,74.

CLASSIFICAÇÃO FINAL:

 

1.º Caterine Ibarguen 15.17
2.º Yulimar Rojas 14.98
3.º Olga Rypakova 14.74
4.º Keturah Orji 14.71
5.º Hanna Knyazyeva-Minenko 14.68
6.º Patrícia Mamona 14.65
7.º Kimberly Williams 14.53
8.º Paraskevi Papahristou 14.26
9.º Susana Costa 14.12
10.º Anna Jagaciak 14.07
11.º Kristin Gierisch 13.96
12.º Kristiina Makela 13.95
2H11: Não há mais alterações e Caterine Ibarguen garante a medalha de ouro com 15,17 metros.2H07:Resta saber como vai a disputa das medalhas e se Caterine Ibarguen consegue o impensável e alcança o recorde mundial. Data de 1995, então por Inessa Kravets, com… 15,50!2H06: PATRÍCIA MAMONA FICA NO 6.º LUGAR!

Kimberly Williams não vai além dos 14,53 e mais ninguém pode ultrapassar a atleta portuguesa. Há motivos para ter orgulho nacional!2H03: Patrícia Mamona fecha o concurso com um salto de 14,59 metros, que também servia para bater o recorde nacional. Grande prova da portuguesa!

2H01:

Papahristou não melhora e vai ficar na 8.ª posição. Knyazyeva-Minenko também não. Aí vem Patrícia Mamona!CLASSIFICAÇÃO APÓS CINCO RONDAS:

1.º Caterine Ibarguen 15.17
2.º Yulimar Rojas 14.98
3.º Olga Rypakova 14.74
4.º Keturah Orji 14.71
5.º Hanna Knyazyeva-Minenko 14.68
6.º Patrícia Mamona 14.65
7.º Kimberly Williams 14.48
8.º Paraskevi Papahristou 14.26

1H57:

Rypakova melhora um centímetro e alcança 14,74 metros para fortalecer ligeiramente a medalha de bronze. Mais longe de Patrícia Mamona.1H56:

Mais ninguém melhora as marcas e o bronze continua a oito centímetros de Patrícia Mamona. Aconteça o que acontecer, a portuguesa só tem motivos para estar orgulhosa. Força!1H53: PATRÍCIA MAMONA BATE O RECORDE NACIONAL!

Que salto incrível da atleta portuguesa! Mamona faz 14,65 metros, arrasa o recorde nacional e sobe ao 6.º lugar. Aproxima-se das medalhas…CLASSIFICAÇÃO APÓS QUATRO RONDAS:

1.º Caterine Ibarguen 15.17
2.º Yulimar Rojas 14.98
3.º Olga Rypakova 14.73
4.º Keturah Orji 14.71
5.º Hanna Knyazyeva-Manenko 14.68
6.º Kimberly Williams 14.48
7.º Patrícia Mamona 14.45
8.º Paraskevi Papahristou 14.26

1H49: Que pulo de Yulimar Rojas!

A venezuelana arranca 14,98 metros e aproxima-se de Caterine Ibarguen, mas não chega para ultrapassar a colombiana. Luta renhida pelo ouro… Mas Caterine Ibarguen faz ainda melhor! 15,17 metros é a marca a bater neste momento!1H47:

Neste momento, o recorde pessoal de Patrícia Mamona (14,58) apenas serve para subir à 6.ª posição. Compete-se a um nível muito alto, acima daquilo que a campeã europeia está habituada a fazer.1H44: Patrícia Mamona faz o seu quarto salto, mas não vai além dos 14,42 metros.

Insuficiente para ganhar posições e escalar na classificação. As medalhas estão longe.1H43:

Papahristou abre os últimos três saltos com 14,04 metros, ao passo que Hanna Knyazyeva-Minenko volta a melhorar e salta uns impressionantes 14,68. Mamona cai para a 7.ª posição.CLASSIFICAÇÃO APÓS TRÊS RONDAS:

1.º Caterine Ibarguen 15.03
2.º Yulimar Rojas 14.87
3.º Olga Rypakova 14.73
4.º Keturah Orji 14.71
5.º Kimberly Williams 14.48
6.º Patrícia Mamona 14.45
7.º Hanna Knyazyeva-Minenko 14.39
8.º Paraskevi Papahristou 14.26

ELIMINADAS

9.º Susana Costa 14.12
10.º Anna Jagaciak 14.07
11.º Kristin Gierisch 13.96
12.º Kristiina Makela 13.95

1H37:

Nesta terceira série, as atletas não têm melhorado as suas marcas e continua tudo na mesma. Só mesmo Susana Costa é que subiu à 9.ª posição. A lista de oito finalistas está encontrada.1H36: Susana Costa salta 14,12 e sobe para o 9.º lugar, mas é insuficiente para seguir em frente.

A atleta do Benfica fica pelo caminho, enquanto Patrícia Mamona vai saltar mais três vezes.1H34:

Aproxima-se o terceiro salto de Susana Costa. É preciso conseguir 14,26 metros para garantir mais três tentativas na final. Não está fácil, depois de dois nulos a abrir.1H30:

Agora foi a vez de a venezuelano Yulimar Rojas dar um grande pulo e salta logo para a vice-liderança! 14,87 para Rojas e Mamona cai para a 6.ª posição.CLASSIFICAÇÃO PROVISÓRIA:

1.º Caterine Ibarguen 15.03

2.º Olga Rypakova 14.73
3.º Keturah Orji 14.71
4.º Kimberly Williams 14.48
5.º Patrícia Mamona 14.45
8.º Paraskevi Papahristou 14.26
12.º Susana Costa NULO

1H26: Patrícia Mamona melhora! Aí está ela! 14,45 metros para a portuguesa, que recupera a 5.ª posição e fica mais confortável para garantir os últimos três saltos!1H23: Que marca de Caterine Ibarguen! A colombiana arrasa a concorrência e faz 15,03. Aí esta a bitola para o resto da competição…1H22:

Hanna Knyazyeva-Minenko melhora para 14,39 metros e iguala Patrícia Mamona, mas ultrapassa a atleta do Sporting. Vida ainda mais difícil para Susana Costa, ao passo que o apuramento para as oito melhores também não está assim tão seguro para Mamona.1H19: Susana Costa faz outro nulo…

Vida muito complicada para a atleta do Benfica. Tem de conseguir, para já, 14,25 metros para sonhar com os últimos três saltos da final.1H17:

Kimberly Williams melhora para 14,48 e ultrapassa Patrícia Mamona. A portuguesa é 5.ª classificada neste momento, à medida que se aproxima o próximo salto de Susana Costa, a única atleta sem marca até ao momento.1H14:

Várias atletas já fizeram as respetivas segundas tentativas, mas ninguém conseguiu marcas que alteram a ordem das oito primeiras. A marca para seguir para os 4.º, 5.º e 6.º saltos é de 14,25 neste momento. É isto que Susana Costa terá de saltar para manter as aspirações vivas.1H13: Patrícia Mamona parte para o seu segundo salto!

Começou por repetir devido ao barulho da meia-final de Usain Bolt, até repetir e… ficar-se pelos 14,14 metros.CLASSIFICAÇÃO PROVISÓRIA APÓS A PRIMEIRA RONDA:

1.º Olga Rypakova 14,73
2.º Keturah Orji 14,71

3.º Caterine Ibarguen 14,65
4.º Patricia Mamona 14,39
12.º Susana Costa NULO

1H10: Agora foi a vez de a colombiana Caterine Ibarguen, grande favorita ao triunfo final, a fazer um grande salto, com 14,65 metros. Patrícia Mamona relegada para a 4.ª posição.
1H07:
Tentativa muito fraca da alemã Kristin Gierisch. A germânica fica-se pelos 13,65 metros e está no fundo da classificação. Só quem fez nulo está pior. Já a israelita Hanna Knyazyeva-Minenko registou 14,25. A primeira ronda está quase concluída…

1H05: Aí está Susana Costa! Salto nulo para a portuguesa… Já a polaca Anna Jagaciak saltou 14,07 metros.

1H03: Agora foi a vez de Kimberly Williams estrear-se na final, com 14,33 metros. Segue-se um salto enorme de Olga Rypakova! A cazaque avança para o 1.º lugar da competição, com impressionantes 14,73.

1H02: Mais uma atleta que fica atrás de Patrícia Mamona. Trata-se da venezuelana Yulimar Rojas, que saltou 14,32 metros. Boas marcas que colocam a barra muito alta desde início.

00H59: Grande marca da norte-americana Keturah Orji… A atleta alcança 14,71 e está na liderança. Trata-se de uma marca já algo acima do recorde pessoal de Patrícia Mamona… Logo depois, a grega Paraskevi Papahristou fica-se pelos 14,26.

00H57: Que grande primeiro salto de Patrícia Mamona! A portuguesa consegue 14,39 metros na primeira tentativa e arranca muito bem a final! Segue-se um nulo da finlandesa Kristiina Makela.

00H54: Aí estão elas! E é Patrícia Mamona quem lidera a fila de estrelas que vão disputar as medalhas. As atletas vão sendo apresentadas e também Susana Costa ouve aplausos do público brasileiro.

00H51: As atletas preparam-se para entrar no Estádio Olímpico. Cada vez mais perto da hora de início da grande final do triplo salto!

————-

– Boa noite! Junte-se a nós para acompanhar aquela que, esperam todos os portugueses, pode ser uma final verdadeiramente histórica para o desporto nacional. Patrícia Mamona e Susana Costa vão entrar em ação, na luta pelas medalhas no triplo salto.

– O concurso, que contempla 12 atletas qualificadas, tem arranque marcado para as 00h55 portuguesas, sendo que será Patrícia Mamona, campeã europeia em título, a dar o ‘pontapé’ de saída. Já Susana Costa será sempre a 9.ª atleta a saltar. Diga-se que a ordem foi sorteada, uma vez que Mamona teve a 9.ª melhor marca da qualificação (14,18 metros), enquanto Costa conseguiu a 11.ª (14,12).

– As 12 finalistas apenas têm garantidos, à partida, os três primeiros saltos da competição. Concluída essa fase inicial, as quatro piores saem automaticamente da prova. Já as oito melhores terão mais três oportunidades de melhorar as marcas e lançar um ataque final às medalhas.

– Confira aqui todas as finalistas e as distâncias com que se qualificaram: Caterine Ibarguen (Colômbia; 14,52), Paraskevi Papahristou (Grécia; 14,43), Olga Rypakova (Cazaquistão; 14,39), Kristin Gierisch (Alemanha; 14,26), Kristiina Makela (Finlândia; 14,24), Kimberly Williams (Jamaica; 14,22), Yulimar Rojas (Venezuela; 14,21), Hanna Knyazyeva-Minenko (Israel; 14,20), PATRÍCIA MAMONA (PORTUGAL; 14,18), Anna Jagaciak (Polónia; 14,13), SUSANA COSTA (PORTUGAL; 14,12) e Keturah Orji (EUA; 14,08).

– Faltam pouco mais do que 10 minutos para o arranque da final. Portugal torce para que Patrícia Mamona e Susana Costa brilhem em grande escala! Recorde-se que o recorde pessoal de Mamona é de 14,58 metros, ao passo que o de Costa é de 14,34.

Fonte: Record.PT

 

Marcelo condecora com a Ordem do Mérito os medalhados nos Europeus

O Presidente da República condecorou, esta tarde, os atletas portugueses medalhados nos Europeus de Atletismo.
No discurso que antecedeu a distinção dos atletas, Marcelo Rebelo de Sousa destacou o orgulho das conquistas desportivas para Portugal.

«O País está numa onda feliz, porque tem tido ao longo dos últimos tempos magníficas notícias das suas e dos seus melhores nas mais diversas modalidades desportivas. E na área do desporto temos aqui duas modalidades com muito apreço por parte dos portugueses e quero reconhecer o mérito de todos os atletas e dirigentes que construíram o caminho para os sucessos de hoje, que se devem à persistência, ao talento, mas também a muito trabalho. Queria agradecer-vos, em nome de todos os portugueses e de todas as portuguesas, o contributo para o alto prestígio de Portugal lá fora e cá dentro», disse o chefe de Estado.

Marcelo frisou ainda a importância de se celebrarem os feitos desportivos do País e deixou uma mensagem de ânimo para que os atletas que vão aos Jogos Olímpicos regressem a Portugal com novas medalhas.

«Quando é justo celebrar, celebra-se sem complexos. Que não se perca a oportunidade de viver o jubilo e hoje é caso para viver o jubilo que deram a Portugal, o orgulho que deram a todos nós que nos sentimos mais portugueses pelos vossos sucessos. Só espero que daqui a umas semanas seja possível termos muitos atletas a serem medalhados, seria sinal de que o País estaria a viver no desporto um momento ímpar na sua história», afirmou.

Os atletas condecorados com a Ordem do Mérito são Fernando Pimenta, Patrícia Mamona, Sara Moreira, Dulce Félix, Jéssica Augusto, Marisa Bastos, Vanessa Fernandes e Tsanko Arnaudov.

O Presidente da República recebeu ainda o Comité Olímpico de Portugal e a Delegação Olímpica.

Fonte: A Bola.PT

 

 

PATRÍCIA MAMONA: «AO NELSON ÉVORA DIGO BEM-VINDO»

Campeã da Europa de triplo salto aponta a Tóquio’2020

Patrícia Mamona está muito entusiasmada como a transferência do ano, no atletismo português, do Benfica para o Sporting, e esta quarta-feira, na Web Summit, mostrou-o: “Ao Nelson Évora digo bem-vindo. Não estava à espera da mudança, mas agradou-me muito. Agora é pensar que temos quatro anos pela frente como equipa.”

A atleta do Sporting, campeão da Europa de triplo salto, sublinhou que “as mudanças fazem parte” também do atletismo. “Isto já tinha acontecido há seis anos, quando o Benfica fez uma equipa muito forte a nível masculino. Agora é a nossa vez. Eu continuo no Sporting, com todos os apoios para continuar a minha carreira. É muito positivo, porque é o meu clube. Que ganhemos e consigamos os nossos objetivos, a Taça dos Clubes Campeões Europeus.”

Patrícia Mamona falou na Web Summit, da transição do amadorismo para o profissionalismo, e assumiu grandes metas a curto-médio prazo. “Treinar para os campeonato da Europa de inverno, em Belgrado, e depois para os mundiais de 2017, em Londres. O objetivo é Tóquio 2020”, onde o pódio será o seu alvo. “Objetivo é sempre conquistar a medalha olímpica, mas ficaria contente se ficasse em 5.º e fizesse 14,66, que é o meu recorde pessoal, o recorde nacional.”

Atleta de topo, sem as condições físicas típicas das saltadoras, Patrícia Mamona deixou uma mensagem forte a quem está a começar: “Na minha cabeça tenho de pensar em ir lá para dentro e vencer. É essa a minha motivação. Não deixes que ninguém te diga que tu não podes fazer se tu acreditas em ti. Tens de arranjar uma boa equipa que te ajude a conquistar os teus objetivos. Todos juntos conseguem chegar lá. Eu sempre meti na cabeça que conseguia. E aqui estou, campeã da Europa em 2016 e sexta nos Jogos Olímpicos. Quando começo a pensar em todas as raparigas que fazem triplo salto e que eu sou a sexta melhor do Mundo, é espectacular. É com este pensamento que continuarei, porque penso que ainda posso dar mais.”

 

Autor: António Varela

Fonte: O Record.pt

Patrícia Mamona afirma que é necessário apostar no desporto escolar

 

E se a atleta Patrícia Mamona estivesse à frente da pasta do Desporto? Precisam-se mulheres (empenhadas, com garra, com capacidade de dar ‘triplos saltos’) na política.

Depois do excelente resultado nos Jogos Olímpicos e da prestação televisiva na SIC, estou certa de que Patrícia está apta para um triplo salto na pasta do Desporto!

Mais sobre Patrícia Mamona:

Tem 27 anos e, em 2016, garantiu que nunca mais ninguém se esquecia do seu nome. Mas ter o nome Patrícia Mamona na ribalta não é a (única) razão pela qual a escolhi para a pasta do Desporto.

Patrícia é a recordista nacional de triplo salto, com a marca de 14,65 metros, obtida nos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro. É profissional e exigente, mas também compete com o coração e com garra.

Patrícia conta que quando atingiu a maioridade se apercebeu de que em Portugal não conseguiria conciliar os estudos com o triplo salto. Entrou em Medicina mas não conseguia arranjar tempo para as duas paixões. Sentia que na faculdade a obrigavam a fazer uma escolha, deixando de lado o desporto, e recusou.

Mudou-se para os Estados Unidos, para o estado da Carolina do Sul, onde tirou o curso de Medicina, na Universidade Clemson, na qual lhe permitiam ter tempo para o triplo salto.

Recentemente, estreou-se no programa Fama Show, na SIC, com a rubrica Salto Alto. Patrícia espera poder dar mais “visibilidade aos atletas” e a modalidades menos conhecidas.

Recordes de Patrícia Mamona

– Recordista nacional do triplo salto (Rio de Janeiro, 2016)

– Medalha de ouro no triplo salto no Campeonato da Europa (Amesterdão, 2016)

– Medalha de prata no triplo salto no Campeonato da Europa (Helsínquia, 2012)

– 4.º lugar no triplo salto no Campeonato do Mundo de Juniores (Pequim, 2006)

– 8.º lugar no triplo salto no Campeonato da Europa (Barcelona, 2010)

– 13.º lugar no triplo salto nos Jogos Olímpicos (Londres, 2012)

– 9 vezes campeã de Portugal de pista no triplo salto (2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016)

– 5 vezes campeã de Portugal em pista coberta no triplo salto (2012, 2013, 2014, 2015 e 2016)

– 1 vitória na Taça dos Clubes Campeões Europeus de pista (2016)

– 2.º lugar na Taça dos Clubes Campeões Europeus de pista (2014)

– 3.º lugar na Taça dos Clubes Campeões Europeus de pista (2014)

– 6 vitórias no Campeonato Nacional de Clubes de pista (2011, 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016)

– 6 vitórias no Campeonato Nacional de Clubes de pista coberta (2011, 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016)

Fonte: Julia.pt

Patrícia Mamona e João Pereira na corrida ao título de atleta do ano da Confederação do Desporto de Portugal

A atleta Patrícia Mamona e o triatleta João Pereira assumiram esta terça-feira que têm rivais de peso na corrida ao título de atleta do ano da Confederação do Desporto de Portugal.

A atleta Patrícia Mamona e o triatleta João Pereira assumiram esta terça-feira que têm rivais de peso na corrida ao título de atleta do ano da Confederação do Desporto de Portugal, mas salientaram a importância de estar entre os nomeados.

É super positivo saber que o desporto está a privilegiar os desportistas que representam o país. Quero que votem em mim”, apelou Patrícia Mamona.

A campeã da Europa do triplo salto reconheceu que a votação para atleta feminina do ano vai ser muito renhida, uma vez que a judoca Telma Monteira, outra das cinco nomeadas, alcançou “um feito inédito”, ao conquistar a única medalha portuguesa nos Jogos Olímpicos do Rio 2016, com o bronze na categoria -57 kg.

Mas eu fui campeã da Europa. Espero que, se não for desta vez, seja da próxima, já que no próximo ano tenho um Campeonato da Europa de pista coberta, um Campeonato do Mundo”, salientou, indicando que este tipo de reconhecimento é importante e dá motivação aos atletas para continuarem a trabalhar para representar Portugal “da melhor maneira”.

Além de Telma Monteiro, Patrícia Mamona vai disputar o prémio da atleta do ano da Confederação do Desporto de Portugal (CDP) com a navegadora Inês Ponte, primeira mulher a conquistar o campeonato nacional de ralis, a cavaleira Luciana Diniz, nona na competição de saltos de obstáculos no Rio 2016, e a canoísta Teresa Portela, 11.ª no K1 500 metros olímpico.

João Pereira sublinhou a honra que sente por integrar o quinteto de candidatos a atleta masculino do ano, um prémio que será atribuído na Gala do Desporto, cuja 21.ª edição decorre no Casino Estoril, a 16 de novembro.

Conseguir chegar à final da nomeação é um marco importante na carreira de um atleta. Depois, sim, o processo para se conseguir vencer é um pouco conseguir ter muitos fãs e apoio do público. Mas conseguir chegar a esta votação final deixa-me bastante contente e orgulhoso. É um pouco ver o meu trabalho recompensado”, admitiu, depois de ver o seu nome aparecer entre os nomeados, na apresentação que decorreu num espaço comercial de Lisboa.

O triatleta, quinto classificado no Rio 2016, concorre com Fernando Pimenta, campeão europeu de K1 1.000 metros e K1 5.000 metros e quinto classificado em K1 1.000 metros nos Jogos Olímpicos, o futebolista Pepe, campeão da Europa com a seleção portuguesa de futebol e vencedor da Liga dos Campeões com o Real Madrid, Rui Bragança, bicampeão europeu de taekwondo na categoria -58 kg e nono no Rio 2016, e Marcos Freitas, quinto em singulares masculinos no ténis de mesa do Rio 2016.

Penso que são todos atletas bastante conhecidos, com nome. Não consigo nomear apenas um adversário. Acho que vai ser muito complicado, mas vou acreditar que tenho um grande grupo de fãs e muitos amigos que votem em mim”, brincou.

Também o presidente do CDP considerou que é muito difícil apontar um favorito nas cinco categorias: atleta masculino, atleta feminino, equipa, treinador e jovem promessa.

Olhando para os nomeados das cinco categorias, é extremamente complicada a escolha. Pode haver um ou outro mais favorito, mas penso que são muito iguais. Todos eles têm um valor enorme, o que revela bem o peso que, hoje em dia, tem o desporto nacional”, indicou.

Carlos Paula Cardoso frisou que os vencedores, “na generalidade”, têm sido justos.

Os cinco finalistas de cada categoria vão estar submetidos à votação online do público (com um peso de 60 por cento) e à votação dos presentes na Gala do Desporto.

Na Gala do Desporto é igualmente entregue o Prémio Personalidade do Ano – Mérito Desportivo a desportistas e entidades indicados pelas filiadas da CDP (uma indicação por cada federação) e o Prémio Alto Prestígio, a mais alta distinção da entidade.

Fonte: observador.pt

“O filho perfeito da Sony” apresentado por Patrícia Mamona

Telemóveis dispersos numa pista de triplo salto, 15, todos com as câmaras ligadas. E Patrícia Mamona pronta a saltar. A atleta é a cara do novo Sony Xperia XZ e a campanha digital da empresa foi gravada perante os jornalistas presentes na apresentação do telemóvel.

Um salto da recordista nacional em triplo salto, gravado em planos 180º para mostrar as potencialidades da câmara do telemóvel.

“Este telemóvel é o filho perfeito da Sony. Vai buscar o melhor de cada tecnologia que nós temos, quer dos nossos televisores, quer das nossas câmaras e dos nossos auriculares. Tecnologia que está comprovada a nível mundial, … tudo isto está dentro deste telefone.” disse Verónica Pestana, diretora da Sony Mobile Portugal.

A câmara, o design e smart assist.

São os três pilares da estratégia da Sony para este smartphone.
Uma câmara de 23 MP que tira “a fotografia perfeita” e que acaba com as fotos desfocadas em movimento diz a empresa. São três os sensores que tornam esta câmara de um telemóvel semelhante a uma câmara da Sony. O sensor de imagens que permite manter o foco em movimento. O sensor laser AF que mede a distância ao objeto e melhora a luz em condições menos boas e o sensor RGBC-IR que torna a cor da fotografia como nos vemos na vida real, o verde será verde na fotografia, vibrante e com os brancos equilibrados, segundo apresenta a Sony.

Telemóveis dispersos numa pista de triplo salto, 15, todos com as câmaras ligadas. E Patrícia Mamona pronta a saltar.
Telemóveis dispersos numa pista de triplo salto, 15, todos com as câmaras ligadas. E Patrícia Mamona pronta a saltar.

O design é compacto e arredondado para se ajustar à mão dos utilizadores, o objetivo é tornar o telemóvel “parte de si“. Está disponível em três variantes de cor, Floresta Azul, Preto mineral e Platina. Além disso é resitente à água e possuiu um Visor Full HD 1080p de 5,2”.

E o smart assist utilizado por exemplo nas baterias, cada vez mais duraveís. O smart assist permite, por exemplo, ao smartphone saber quando normalmente carrega o telemóvel. E sabendo que por exemplo desliga o carregamento às 7 da manhã, o telemóvel espera até aos 70 minutos antes dessa hora para preencher os 10% que faltarem até a bateria atingir os 100%. Isto porque embora seja cómodo deixar o telemóvel a carregar durante a noite degrada as baterias. O batery care interrompe a carga a partir dos 90%.

Verónica Pestana explicou porque é que a Sony escolheu a atleta para representar e ser a cara do smartphone – performance, rapidez e topo de gama. Estas são caraterísticas que são tanto do telemóvel como da Patrícia Mamona.

O telemóvel “destaca-se pela sua performance e adora o movimento. É por isso que apanha tudo à velocidade da vida. Até da minha.” disse a atleta.

O salto e o resultado do vídeo para a campanha digital do Sony Xperia XZ estará pronto nos próximos dias. Por agora o telemóvel já está disponível no mercado por um preço recomendado de 729,9€.

Fonte: revistaatletismo.com